estante de livros
estante de livros

Biblioteca Ruy Carlos Ostermann #8 – Os livros de Bibiana Bolson

Bibiana Bolson é uma legítima “rodinha nos pés”. Com apenas 31 anos, a gaúcha do interior já morou em 12 lugares diferentes pelo Brasil, Europa e Estados Unidos. Todos os lugares formaram a personalidade da jornalista e seu gosto para literatura e cinema, como podemos ver nas suas indicações para a Biblioteca Ruy Carlos Ostermann. 

Além dos carimbos no passaporte, Bibiana já carrega 12 anos de carreira. Começou na TV cobrindo o São Luiz, em Ijuí. O resto é história: duas Copas do Mundo, Eurocopa, Copa América, vários campeonatos Brasileiros e Libertadores, e uma entrevista exclusiva com a Marta. E não para no futebol: já cobriu automobilismo, skate, basquete e uma Olimpíada. 

Hoje, morando em São Paulo e trabalhando na ESPN, Bibiana respira esporte quase 24 horas por dia. É setorista do Palmeiras, criadora do @321gravando e produz conteúdo esportivo nas suas redes sociais. Super ligada no feminismo, usa seu espaço muito bem para levantar outras mulheres e lutar para que tenhamos um muito mais igualitário, não só no esporte. 

Confira agora as indicações literárias de Bibiana:

AGASSI – AUTOBIOGRAFIA

Fala Bibiana! Eu adoro ler biografias, acho que são muito inspiradoras para a gente conhecer todos os detalhes das trajetórias de pessoas que a gente admira ou tem curiosidade de saber. O que me chamou a atenção na narrativa do livro do Agassi, e acho que isso faz dele uma das melhores biografias que já li, é que é um livro que traz todo conflito de amor e ódio que ele tinha ao mesmo tempo pelo tênis. Da mesma forma que ele amava esse esporte, dedicou a vida dele ao esporte, ele também tinha um ódio, uma raiva, um rancor, por todas as experiências vividas ali. Então eu acho que é um livro muito bonito, porque mostra todos os contrastes que um atleta pode ter, mostra toda a vulnerabilidade dele também, e é muito envolvente. Quando ele descreve as dores dele, o leitor sente essas dores também. A intensidade desse livro fez com que eu colocasse ele na minha estante de livros preferidos.

O velho e o mar, Ernest Hemingway

Fala Bibiana! É um clássico da literatura. A forma como ele é escrito, em alguns momentos parece que é um livro muito bobinho, mas na verdade cada diálogo é tão profundo e traz tantas lições que faz você ficar muito reflexiva. Ele é um encontro de gerações, ele traz toda a ingenuidade e ao mesmo tempo o lado duro da vida, a complexidade que se tem na vida, nos diálogos que acontecem entre o velho, o menino e o mar. Então acho que ele traz através de várias metáforas ideias, etapas e fases que a gente passa na vida. É um clássico bem instigante, que te faz pensar muito sobre o que ele realmente tá querendo dizer com aquela mensagem de uma história toda que é construída em cima da questão do mar, da natureza, da pescaria e dos encontros que acontecem ali.

Eu não vim fazer um discurso, Gabriel García Márquez:

Fala Bibiana! Praticamente um livro de memórias dos discursos do Gabriel, de passagens importantes da vida dele, de questões políticas porque isso é muito presente na obra do Gabriel também. Então eu acho que ajuda a entender melhor um autor que eu muito admiro, porque um dos livros que mais marcou na minha trajetória foi 100 anos de solidão. É um livro mais leve, porque é um compilado de várias histórias.


Confira as dicas de outros participantes da Biblioteca Ruy Carlos Ostermann, como Tati Mantovani, Tino Marcos e da Equipe FootHub!

Texto de Júlia Vargas.

compartilhe

Faça parte do nosso time

Preencha o formulário para que nossa equipe possa avaliar suas informações e entrar em contato.

Publique o seu artigo

Preencha o formulário para que nossa equipe possa entrar em contato e ajudar você a publicar seu artigo.