biblioteca
biblioteca

Biblioteca Ruy Carlos Ostermann #14 – os livros de Paulo Vinícius Coelho

Paulo Vinícius Coelho dispensa apresentações aos fãs de futebol. Jornalista há mais de 30 anos e, atualmente, comentarista dos canais Globo, PVC é imensamente conhecido e admirado pelo Brasil. E hoje é o convidado da nossa Biblioteca Ruy Carlos Ostermann

A carreira de Paulo Vinícius começou no ABC Paulista, em São Bernardo do Campo, onde graduou-se em jornalismo em 1990. No ano seguinte, ingressou na Editora Abril, primeiro na revista A Semana em Ação, depois como repórter da Placar. Ganhou os prêmios Abril de 1993, 1995 e 1997, pela melhor matéria de esportes da editora.

No fim dos anos 90, mudou-se para o Lance!, onde atuou como repórter, colunista e editor-executivo até 2008. No mesmo período tornou-se comentarista na ESPN e colunista, primeiro na Folha de SP e depois no Estadão. 

Em 2014, trocou a ESPN pela Fox Sports e passou a escrever para o portal UOL. No final de 2019, despediu-se da Fox, estreando nos canais Globo no programa Bem, Amigos! em janeiro de 2020. 

Um currículo e tanto, com 9 livros escritos e seis coberturas especiais em Copa do Mundo (de 1994 a 2018), além de ter sido o comentarista do jogo FIFA de 2007 a 2010.

Confira agora as dicas literárias de Paulo Vinicius Coelho

Minha razão de viver, Samuel Wainer

Fala, PVC! Eu tô lendo “O homem que estava lá”, que é a biografia do Samuel Wainer. Um dos livros que eu li no começo da minha carreira é “Minha razão de viver”. É muito bom, inclusive para entender que jornalismo é igual a salsicha: se você souber como faz, você não come. Se bobear, jornalismo é até pior (risos).

O Sapo de Arubinha, Mário Filho 

Fala, PVC! São as crônicas de Mario Filho, com seleção do Ruy Castro. A história do Brasil do começo do século XX dentro das quatro linhas do futebol.

Chega de saudade, Ruy Castro 

Fala, PVC! Do Ruy Castro, eu poderia falar do “Garrincha: estrela solitária”, mas “Chega de saudade” foi o primeiro livro de grande sucesso dele e conta a história da bossa nova, que junto com o futebol, é um grande símbolo da cultura brasileira. 

Texto de Júlia Vargas.

compartilhe

Faça parte do nosso time

Preencha o formulário para que nossa equipe possa avaliar suas informações e entrar em contato.

Publique o seu artigo

Preencha o formulário para que nossa equipe possa entrar em contato e ajudar você a publicar seu artigo.