biblioteca
biblioteca

Biblioteca Ruy Carlos Ostermann #14 – os livros de Paulo Vinícius Coelho

Paulo Vinícius Coelho dispensa apresentações aos fãs de futebol. Jornalista há mais de 30 anos e, atualmente, comentarista dos canais Globo, PVC é imensamente conhecido e admirado pelo Brasil. E hoje é o convidado da nossa Biblioteca Ruy Carlos Ostermann

A carreira de Paulo Vinícius começou no ABC Paulista, em São Bernardo do Campo, onde graduou-se em jornalismo em 1990. No ano seguinte, ingressou na Editora Abril, primeiro na revista A Semana em Ação, depois como repórter da Placar. Ganhou os prêmios Abril de 1993, 1995 e 1997, pela melhor matéria de esportes da editora.

No fim dos anos 90, mudou-se para o Lance!, onde atuou como repórter, colunista e editor-executivo até 2008. No mesmo período tornou-se comentarista na ESPN e colunista, primeiro na Folha de SP e depois no Estadão. 

Em 2014, trocou a ESPN pela Fox Sports e passou a escrever para o portal UOL. No final de 2019, despediu-se da Fox, estreando nos canais Globo no programa Bem, Amigos! em janeiro de 2020. 

Um currículo e tanto, com 9 livros escritos e seis coberturas especiais em Copa do Mundo (de 1994 a 2018), além de ter sido o comentarista do jogo FIFA de 2007 a 2010.

Confira agora as dicas literárias de Paulo Vinicius Coelho

Minha razão de viver, Samuel Wainer

Fala, PVC! Eu tô lendo “O homem que estava lá”, que é a biografia do Samuel Wainer. Um dos livros que eu li no começo da minha carreira é “Minha razão de viver”. É muito bom, inclusive para entender que jornalismo é igual a salsicha: se você souber como faz, você não come. Se bobear, jornalismo é até pior (risos).

O Sapo de Arubinha, Mário Filho 

Fala, PVC! São as crônicas de Mario Filho, com seleção do Ruy Castro. A história do Brasil do começo do século XX dentro das quatro linhas do futebol.

Chega de saudade, Ruy Castro 

Fala, PVC! Do Ruy Castro, eu poderia falar do “Garrincha: estrela solitária”, mas “Chega de saudade” foi o primeiro livro de grande sucesso dele e conta a história da bossa nova, que junto com o futebol, é um grande símbolo da cultura brasileira. 

Texto de Júlia Vargas.

compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Faça parte do nosso time

Preencha o formulário para que nossa equipe possa avaliar suas informações e entrar em contato.

Publique o seu artigo

Preencha o formulário para que nossa equipe possa entrar em contato e ajudar você a publicar seu artigo.