ecossistema de inovação
ecossistema de inovação

Como o ecossistema local pode ajudar no processo de Inovação

Se você não sabe por onde começar a inovar em seu clube ou organização, comece pelo ecossistema de inovação local!

O que são ecossistemas de inovação?

De uma forma bem simplista, são um conjunto de ambientes, comunidades e iniciativas que visam fomentar o desenvolvimento social e econômico local através da tecnologia, inovação, e principalmente, pela colaboração.

Muitas destas contam com o incentivo e investimento de universidades, empresas e governo, e a partir disso promovem ações e articulações entre diferentes atores deste ecossistema, e, atraem novos atores que possam contribuir, colaborar e inovar.  São diversos agentes: aceleradoras, startups, fundos de venture capital, parques tecnológicos, grandes empresas de tecnologia, associações, governo e universidades que trabalham com o mesmo propósito.

Onde localizar estes ecossistemas?

Você pode buscar por projetos ou iniciativas de inovação das instituições públicas: prefeituras, secretarias, associações ou governo. Alguns exemplos no sul do Brasil são iniciativas Pacto Alegre em Porto Alegre, o Vale do Pinhão em Curitiba, Acate – Associação Catarinense de Tecnologia em Florianópolis. Aliadas a estas iniciativas estão os parques tecnológicos que geralmente estão ligados às universidades.

Ou então, buscar iniciativas privadas – seja do esporte ou não, como Cubo Itaú e o Inovabra Habitat em São Paulo, que foram algumas das primeiras iniciativas de inovação e empreendedorismo no Brasil. E ainda, há a possibilidade de buscar institutos e organizações independentes como Distrito, Arena Hub, Sportheca, Instituto Caldeira, Brazil Sports Tech, e os programas de aceleração, que são uma das pontas deste ecossistema e podem auxiliar de alguma forma.

Enfim, a ideia é buscar algum dos agentes de inovação que possam colaborar de alguma forma com seu clube ou instituição.

Quais as formas de colaboração do ecossistema?

Desde o networking e eventos à construção de um programa próprio de inovação aberta, que foi o que aconteceu com o Vozão Conecta, no Ceará, onde o clube literalmente abriu suas portas para receber startups que pudessem solucionar alguns dos desafios que a instituição enfrenta no dia a dia. Mas há outras formas que servem para o mesmo fim: aplicação de design thinking, design sprint, grupos de estudo, entre outras metodologias.

Neste caso, são muitas as possibilidades! Até de formar parcerias com os parques tecnológicos e universidades para fomentar a inovação e a colaboração em ambos os lados, com a troca de espaços, talentos e ideias. Essa, para mim, é uma das principais fontes de colaboração e inovação que fomentam não só o clube, mas todo o ecossistema local.

E é por isso que eu sempre indico este como um dos principais caminhos a seguir quando o clube de futebol ou instituição esportiva não souber por onde começar a inovar, ou a realizar a transformação digital. Com certeza esse ecossistema poderá não só ajudar como a conectar com aqueles que podem. Mais que isso, são nestes ecossistemas que o clube pode encontrar muitas das soluções para os seus problemas, desde que, claro, possa ser parte integrante como agente colaborador.

Texto de Débora Saldanha.

compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Faça parte do nosso time

Preencha o formulário para que nossa equipe possa avaliar suas informações e entrar em contato.

Publique o seu artigo

Preencha o formulário para que nossa equipe possa entrar em contato e ajudar você a publicar seu artigo.