Thomas Edison tinha razão: 99% da genialidade vem da transpiração

Thomas Edison tinha razão: 99% da genialidade vem da transpiração

Um dos mais célebres inventores da história, Thomas Edison cunhou uma frase que é utilizada com grande frequência no mundo do futebol: “genialidade é 1% de inspiração e 99% de transpiração”. E não é que, mesmo sem chutar uma bola na vida, ele tinha razão! Aliás, após a palestra desta quinta-feira (29/11/2018), no Foot.Hub, comandada por Denise Marins, Consultora Científica do Gatorade Sports Science Institute, poderíamos dar uma pequena corrigida nessa afirmação histórica.

A transpiração nos atletas de alto rendimento precisa ser estudada a fundo, pois, certamente, será decisiva em seu desempenho individual e coletivo. Portanto, corroborando com a teoria de Edison, a transpiração, hoje, precisa ser estudada na sua total complexidade pela sua real interferência no resultado de partidas e campeonatos.

“Entender a diferença entre cada atleta é necessário. A individualização de cada profissional na hora do estudo é um processo crucial”, destacou Denise aos quase 40 participantes de sua palestra no Hub.

Cada segmento no futebol, como no esporte em geral, faz a diferença em um ambiente de alto rendimento. Cada milésimo de segundo, cada chute certeiro, cada passe, cada gol corresponde a um aperfeiçoamento diário de todos os setores pertinentes e correlacionados ao esporte mais praticado no Brasil. Mesmo assim, segundo Denise Marins, isso precisa ser aperfeiçoado em nosso país, e um dos problemas cruciais para isso é um velho conhecido de dirigentes, atletas e torcedores: o calendário.