Saiba tudo sobre a maior edição da Copa Libertadores Feminina

Saiba tudo sobre a maior edição da Copa Libertadores Feminina

A competição mais importante da América do Sul está prestes a começar. A partir de hoje até o próximo dia 27, em Quito, capital do Equador, a bola irá rolar pela Libertadores Feminina 2019. E pensando nisso, o Jogando Com Elas traz um conteúdo especial sobre o torneio que chega à sua 11ª edição neste ano. 

Sede: 

A Confederação Equatoriana de Futebol, escolhida pela primeira vez para sediar a Conmebol Libertadores Feminina, optou pela realização em sua capital, Quito. O presidente da entidade, Francisco Egas, no último dia 30, em solenidade que marcou o sorteio dos grupos e as boas-vindas aos representantes das equipes que disputarão o torneio, destacou sua satisfação e importância de tal disputa, que contará com dois estádios.

Um deles é o Estádio Olímpico Atahualpa, utilizado para jogos da seleção do Equador, e pelos clubes Club Deportivo El Nacional, Sociedad Deportivo Quito, Club Deportivo Espoli e Club Deportivo Universidad Católica del Ecuador e que conta com capacidade para 35.742 torcedores.

O outro é o conhecido CasaBlanca, onde de uma das principais equipes da cidade e país, LDU (Liga Deportiva Universitaria de Quito), manda seus jogos e que suporta 41.596 pessoas.

Grupos: 

As 16 equipes que disputarão a competição, algo então inédito, já que será a edição com o maior número de clubes, foram divididas em quatro grupos. Os dois primeiros colocados de cada chave avançam para a fase de mata-mata (quartas de final; semifinal; e final), disputada em confronto único.

Grupo A Grupo B Grupo C Grupo D
Atlético Huila – Colômbia Deportivo Cuenca – Equador Corinthians – Brasil Santiago Morning – Chile
Peñarol – Uruguai Estudiantes de Caracas – Venezuela Club Ñañas – Equador Uai Urquiza – Argentina
Cerro Porteño – Paraguai Mundo Futuro – Bolívia América de Cali – Colômbia  Municipalidad Distrital de Majes – Chile
Colo-Colo – Chile Ferroviária – Brasil Libertad Limpeño – Paraguai Independiente Medellín – Colômbia

Campeões: 

Chegando em sua 11ª edição, a Libertadores, desde a criação para a disputa feminina, conta com sete vencedores de quatro países diferentes. Liderando, o Brasil já venceu com quatro equipes, enquanto Chile, Paraguai e Colômbia completam a lista com um clube vencedor. 

São José – a equipe do interior paulista é a maior vencedora da competição com três títulos. Os triunfos aconteceram em 2011, 2013 e 2014.

Santos – com dois títulos, as sereias da vila levantaram o troféu mais cobiçado da América logo em suas primeiras edições (2009 e 2010).

Ferroviária – Uma das equipes brasileira que estará este ano em Quito, a Ferroviária conquistou o torneio no ano de 2015 e agora, em 2019, buscará o bicampeonato.

Audax – Fechando a lista de brasileiros vencedores da Libertadores, o Audax, após um empate em 0 a 0 com o Colo-Colo no tempo normal, nos pênaltis, foi o vencedor do torneio em 2017. 

Colo-Colo – A equipe chilena foi a primeira não-brasileira a terminar a competição com o título. O triunfo foi em 2012, em cima do Foz Cataratas. Nesta edição, buscará o seu segundo título. 

Sportivo Limpeño – em 2016 foi a vez do Sportivo Limpeño, clube paraguaio, vencer a Libertadores. A conquista veio após a vitória por 2 a 1 em cima Estudiantes de Guárico. 

Atlético Huila – atual campeão, o Atlético Huila, da Colômbia, se sagrou vencedor ao vencer, em Manaus, o Santos.  

Representantes brasileiros: 

O Brasil terá como representes, para tentar alcançar o seu oitavo título da Libertadores, Corinthians, em busca da primeira taça, e Ferroviária, que tentará o bicampeonato. Os dois clubes que fizeram, neste ano, a final do Campeonato Brasileiro Feminino Série A1 e chegam confiantes para a disputa. 

Corinthians – O Timão, um dos melhores clubes brasileiros em atividade, vai em busca da conquista inédita da Libertadores. Em 2017, a equipe chegou a conquistar a competição, no entanto, não levava o seu nome próprio, e sim o do Audax, já que o time era uma mescla dos dois plantéis. 

Como destaque, o elenco do treinador Arthur Elias, conta com Millene. A atacante foi a artilheira do campeonato nacional com 19 gols. 

Ferroviária – A Ferroviária, sob comando de Tatiele Silveira, chega ao Equador com a confiança elevada, após a conquista do Brasileirão Feminino A1.  Vencedoras em 2015, as Guerreiras Grenás vão em busca de seu segundo título do torneio continental. Já como destaque, a Locomotiva conta com Luciana, goleira tricampeã brasileira e que está sendo essencial para a equipe do interior de São Paulo nesta temporada. 

 

E você poderá acompanhar tudo sobre a Libertadores 2019, que começa hoje, às 19h (horário de Brasília), através do serviço de streaming DAZN e pelo portal Jogando Com Elas.