O Hexa e? nosso!

O Hexa e? nosso!
Por Mo?nica Gomes

“O Hexa vem!” Em ano de Copa do Mundo, esta foi uma das frases mais repetidas pelos brasileiros apaixonados pelo futebol. O hexa veio! Na?o atrave?s do comando de Tite e dos gols do Gabriel Jesus, mas o hexa e? verde-amarelo. Na?o atrave?s das defesas de Alisson e dos dribles do Neymar, mas o hexa e? do Brasil. Na?o com a tac?a erguida pelo Thiago Silva, mas o hexa e? nosso! O hexa na?o veio na Ru?ssia, na?o sei se vira? no Catar. O hexa veio do interior de Alagoas. O hexa nasceu em Dois Riachos. O hexa tem nome e sobrenome: Marta Vieira da Silva.

Marta, a melhor jogadora de futebol do mundo. Marta, a maior vencedora do pre?mio, entre homens e mulheres. Marta, seis vezes campea?. E? hexa! E? a camisa 10 da selec?a?o, nos dando orgulho de vestir a canarinha. E? a mulher, mostrando que ainda somos o pai?s do futebol. E? a criac?a?o da ma?e e da vo?, mostrando o poder da fami?lia. E? a menina do interior, mostrando sua forc?a. E? o esporte, mostrando seu poder de superac?a?o. E? o futebol feminino, mostrando que lugar de mulher e? onde ela quiser. No escrito?rio ou no vestia?rio; dentro de campo ou na arquibancada. Podemos ser gestoras, torcedoras e jogadoras.

A histo?ria vencedora de Marta, atrai mi?dia e publicidade, mas questiono ate? onde vai o apoio financeiro e patroci?nio para clubes menores e equipes locais? Onde esta? o apoio para atletas menos “conhecidas”? Onde esta?o as marcas que buscam agregar valor social a?s suas identidades? Onde esta? a? disposic?a?o das confederac?o?es e federac?o?es em tornar o futebol feminino ta?o importante quanto o masculino?

Embora mudanc?as positivas estejam – lentamente – sendo implementadas, sabemos que o panorama no futebol feminino na?o pode ser equiparado ao masculino. A disparidade de ge?nero, vai ale?m de termos financeiros e salariais, abrangendo quesitos estruturais e de visibilidade, na?o somente no Brasil, como nas maiores equipes do mundo. Essa diferenc?a e? reflexo das desigualdades da sociedade, e precisa de espac?o para debates que va?o ale?m do discurso “mulheres ganham menos dinheiro”.

Se por um lado, o futebol feminino ainda na?o tem o valor que merece, por outro, o trofe?u da Marta representa nossa busca por reconhecimento e respeito no esporte. Essa vito?ria nos da? esperanc?a por mais igualdade e justic?a dentro e fora das quatro linhas.

Marta, o hexa e? nosso!