FIFA e Catar criam joint venture para entregar a Copa do Mundo de 2022

A Fifa montou uma joint venture com o Catar, anfitrião da Copa do Mundo de 2022, como parte de seu esforço para simplificar a organização do torneio. O anúncio foi feita na última terça-feira (12).

A entidade global do futebol afirmou em comunicado que vai deter 51% do empreendimento, enquanto o comitê organizador do Catar terá 49%.

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, disse em 2016 que a federação teria mais controle sobre as bilheterias e a organização na Copa do Mundo, acrescentando que a decisão foi motivada pela eficiência e não pela falta de confiança nos organizadores locais.

Até agora, os comitês organizadores locais da Copa do Mundo foram liberados para trabalhar de forma independente, com a FIFA fazendo inspeções periódicas de seu progresso, em um padrão que às vezes leva à tensão.

No período que antecedeu a Copa do Mundo de 2014, o então secretário-geral da FIFA, Jerome Valcke, enfureceu os anfitriões do Brasil ao dizer que o país precisava de um “empurrão nas costas” para acelerar os preparativos.

A secretária-geral da FIFA, Fatma Samoura, disse no comunicado que a nova configuração foi um “grande passo” para a frente na organização do torneio.

“A joint venture visa reorganizar a maneira como trabalhamos na frente operacional e evitar ineficiências”, disse ela.

O torneio do Qatar deve acontecer em novembro e dezembro de 2022, com 32 equipes participando, embora Infantino tenha sugerido o aumento para 48 países.

Um estudo de viabilidade está sendo realizado em aspectos como agendamento, o número de locais necessários, locais de treinamento e quantos jogos por dia seriam jogados em um formato expandido.

Conteúdo da Reuters.