Esporte e Tecnologia: os avanços que afetarão o esporte no futuro

Esporte e Tecnologia: os avanços que afetarão o esporte no futuro
Por Rodrigo Romano

Os avanços tecnológicos não param de chegar. As ferramentas que serão tendência no mundo dos esportes nos próximos anos já estão no mercado, você só precisa observar a sua volta. Neste texto algumas delas serão listadas, com os principais fatores que fazem tal tecnologia acrescentar ao esporte e exemplo de onde estas são utilizadas atualmente.

Uma delas é o VAR, Video Assistant Referee ou árbitro assistente de vídeo, sistema de vídeo que auxilia os juízes em casos de gols, pênaltis, cartões vermelhos e identificação de jogadores. A ferramenta teve sua grande atuação na Copa do Mundo da Rússia em 2018 e hoje já está presente nas principais ligas de clubes. O uso dessa tecnologia ao ainda gera algumas dúvidas aos árbitros, comentaristas e torcedores atualmente. Nas últimas semanas, o VAR começou a ser usado nas fases decisivas dos campeonatos estaduais. Tanto em São Paulo, quanto no Rio de Janeiro houveram polêmicas envolvendo o árbitro de vídeo. É importante que o público entenda que isso acontecerá no começo da utilização da ferramenta. Os problemas serão cada vez menores conforme a prática aconteça.

Os wearables, “dispositivos vestíveis”, unem a tecnologia com a praticidade. São vistos na forma de relógios, pulseiras e óculos, e estão cada vez mais presentes na sociedade. No esporte, são usados para realizar uma coleta de dados cada vez mais rica, e podem ser aplicados, por exemplo, no calção dos atletas, sem atrapalhar seus movimentos. A empresa Fitbit é uma das que produz esse tipo de tecnologia. Atualmente ela é patrocinadora do uniforme do Minnesota Timberwolves, da NBA, liga de basquete dos Estados Unidos. Um dos acordos presente no contrato envolve justamente o uso da tecnologia wearable pelos atletas para a coleta de dados e análise posterior, auxiliando a equipe de preparação no decorrer da temporada.

Os e-sports são mais uma forma de ver a tecnologia entrando no esporte. Esses têm se tornado uma indústria a parte e geram tanto dinheiro quanto outras modalidades tradicionais. Em pesquisa referente ao ano de 2017, foi divulgado o valor movimentado de US$ 655,3 milhões no mundo todo. O Brasil é o terceiro maior mercado do mundo, atrás apenas de Estados Unidos e China. Ainda segundo números de 2017, eram 11,4 milhões de praticantes. As próximas geração terão os e-sports em suas rotinas e não será possível brigar contra essa tendência. Alguns esportes estão se integrando com essa inovação, como a NBA, que lançou uma liga do NBA 2K, jogo mais tradicional do campeonato.

Por fim, a realidade virtual, capaz de mudar a experiência de assistir uma partida de qualquer esporte. Como mostra o vídeo abaixo, voltado para a NFL, o fã poderá se sentir no estádio, quando na verdade estará no sofá de sua casa.

Além disso, a realidade virtual também está ajudando os atletas a se prepararem melhor para as disputas. Nos EUA são diversas modalidades que utilizam esta tecnologia nos treinos, como o esqui, baseball e hóquei.

Algumas dessas alternativas apresentadas sofrem no mundo atual para apresentar seu melhor desempenho. Não estão em sua melhor versão. Outras ainda sofrem com o preconceito dos apaixonados pelo esporte para deslanchar. Mas tudo isso é apenas questão de tempo. Em um futuro próximo, o VAR, os e-sports e o uso da realidade virtual farão parte da rotina dos fã de futebol, basquete, vôlei, entre outros. Quando este momento chegar, estarão todos aproveitando as vantagens que a tecnologia traz ao esporte.