Cruzeiro lança banco digital

Cruzeiro lança banco digital

Os bons ares da Argentina fizeram o Cruzeiro levar para a capital do país vizinho, Buenos Aires, o anúncio de seu novo patrocinador máster. Na tarde desta quarta-feira, o presidente celeste e o diretor comercial e novos negócios do clube celeste, Wagner Pires de Sá e Renê Salviano, estiveram ao lado de João e Thiago Urbaneja, diretor-presidente e diretor de novos negócios e marketing do banco Renner, para apresentar à imprensa e torcida o “Banco do Cruzeirense” (Digi+ Cruzeiro), o novo produto que estampará sua marca no local mais nobre do uniforme estrelado.

“Com grande prazer e vou dizer a vocês com muita alegria, que hoje nós estamos lançando muito mais do que um patrocínio em nosso manto sagrado, estamos lançando um novo sistema, uma parceria. Por isso eu quero falar com os nossos 10 milhões de torcedores que compõe essa nossa grande nação azul. A partir de agora o banco Digi+, juntamente com o Cruzeiro, será o Banco do Cruzeiro, vamos ter todos os benefícios dos lucros que essa parceria trará para a nossa grande família, nossa instituição. Por isso eu convoco os 10 milhões de torcedores, venham para nós. Junto com a gente vocês vão beneficiar enormemente o Cruzeiro”, disse o mandatário estrelado, que na coletiva de imprensa vestia a camisa dois do clube com o patrocínio máster do “Digi+ Cruzeiro”.

Sem entrar muito em detalhes relacionados aos números, como o valor global do patrocínio, o presidente da Raposa citou que 50% dos lucros de toda a operação envolvendo o “Digi+ Cruzeiro” ficarão com o clube azul e branco.

“O Cruzeiro terá 50% de todas as vantagens, dos lucros que esse esforço conjunto fará o banco Renner e o Cruzeiro Esporte Clube”, comentou Pires de Sá.

Ganho fixo

Segundo informações de bastidores, o Cruzeiro receberá R$ 11 milhões de valor fixo pelo patrocínio máster, além de um montante que será variável, dependendo da interação do torcedor com o produto “Digi+ Cruzeiro”.

A informação do valor bruto incialmente foi apresentada pelo Superesportes e confirmada pelo Hoje em Dia, que apurou também que a marca “Digi+Cruzeiro” estampará a frente do uniforme cruzeirense até o fim desta temporada, podendo ser alocada em outro espaço a partir de 2020. O acordo entre as partes tem validade de cinco anos.

Ganho variável

O presidente do Banco Renner, João Urbajena, estima para o primeiro ano de parceria pelo menos 1 milhão de novas contas abertas no Digi+Cruzeiro. Entretanto, todas as partes, banco e o próprio clube, não colocam “nas costas” do torcedor a responsabilidade de o projeto “virar”, ou seja, de dar certo.

“O céu é o limite, como disse o Wagner (Pires de Sá). Não gostaria de transferir em momento algum o valor do patrocínio, a carga, a responsabilidade para o nosso torcedor. Não é de responsabilidade dele dar o valor do nosso patrocínio, queria deixar isso bem claro também. Eu acho que a gente desenhou esse projeto para que seja bom para o torcedor, e eu me incluo, porque sou torcedor também. Na hora de desenhar esse projeto, isso é bom para o torcedor? Essa instituição é sólida? Esse projeto vai realmente fazer diferença no dia a dia do torcedor? Eu vejo, óbvio que acompanho todas as redes, eu estou vendo ali, esse banco cobra, esse fala que não cobra, mas cobra. Qual o modelo de negócio desses bancos? Isso a gente estudou há cinco meses”, disse Renê Salviano.

A conta básica no “Banco do Cruzeirense” terá tarifa mensal de R$ 9,90, o que dará ao correntista o direito de realizar quatro saques, quatro transferências eletrônicas entre bancos (independentemente da bandeira da instituição financeira) e duas consultas de extratos mensais.

“Objetivo de tudo não é abrir uma conta. Se fosse abrir conta, você fazia o patrocínio, colocaria sua marca na camisa e pronto. O que nós estamos falando aqui é de algo muito mais além de tudo isso, por isso que em vez de patrocínio falamos em parceria. É uma participação de todos, onde podemos através de produtos financeiros, e da marca Cruzeiro, potencializar, se trazer negócios dentro da instituição, de ambas as instituições. O objetivo não é abrir conta. O intuito é ter a participação, é o torcedor estar engajado no projeto, o clube, o banco, todos, para que se possa gerar resultado. Gerar lucro? Sim, lógico que se visa lucro, mas o que queremos mostrar é que uma gestão diferente, inovadora, com práticas modernas, nós podemos sair do tradicional, porque se os clubes se continuarem no tradicional estão fadados ao fracasso, a problemas econômicos como se vê por aí. Hoje com a retirada dos grandes investidores públicos, o que está acontecendo com os clubes de futebol? Quantos estão com problemas financeiros e não pagam nem seus jogadores”, explicou João Urbaneja.

App e site

O Aplicativo do Digi+ Cruzeiro, o banco digital do clube celeste, já está disponível nas lojas Play Store e Apple Store, e os torcedores com sistema Android ou iOs já podem baixar o App na plataforma que melhor convier.

Além disso, há o site do Digi+ Cruzeiro, que também é uma ferramenta para tirar dúvidas dos torcedores: digimaiscruzeiro.com.br

Extraído de Hoje em Dia