Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019 já entrou para a história

Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019 já entrou para a história

A Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019, que está acontecendo na França desde o início de junho, com certeza entrará para a história do futebol. Chegando ao final da primeira fase da competição, já tivemos diversos elementos para marcar está edição como uma das mais importantes. Confira um levantamento feito para comprovar o motivo da edição 2019 do Mundial estar no topo da lista de mais relevantes:

A participação das mulheres

Sem dúvidas, a 8ª edição da Copa do Mundo feminina é a que possui o maior número de mulheres trabalhando no evento. Cada vez mais as mulheres estão adquirindo seu espaço nas coberturas esportivas e, na Copa, não é diferente. Além das comentaristas que fazem parte da equipe nas tranmissões, os veículos também enviaram mulheres repórteres para acompanharem in loco os jogos e o dia a dia das seleções. Na partida de abertura da competição, Ana Thais Matos, jornalista da Rede Globo, participou da transmissão, ao lado de Galvão Bueno, o que representou muito para a modalidade, já que ele é um dos maiores narradores da história do país.

Ana Thais Matos  | Foto: João Cotta/Globo

Visibilidade

Além das transmissões de grandes veículos, como Globo e Band, que estão transmitindo a maioria dos jogos da competição, vemos também cada vez mais portais menores cobrindo o torneio e dando espaço para a modalidade. Temos diversos exemplos, como o Desimpedidos, que enviou a Alê Xavier, uma das integrantes da equipe, para gerar conteúdo sobre a Copa diretamente da França. Essa visibilidade que a categoria está conquistando cada vez mais só mostra que as mulheres estão, depois de muita luta, adquirir seu reconhecimento no futebol.

Alê Xavier | Foto: Arquivo Pessoal

Estreia

O jogo que marcou a abertura da Copa do Mundo 2019 foi entre França e Coreia do Sul, no dia 7 de junho. A partida terminou em goleada das donas da casa por 4 a 0, mas o fato que realmente marcou não foi o resultado, e sim o público. O jogo foi no Parc des Princes, casa do gigante Paris Saint-Germain, e, mesmo que o jogo não contasse com as estrelas do futebol mundial Mbappé, Neymar e companhia, o estádio estava lotado. 45.261 pessoas compareceram ao estádio para ver a abertura do Mundial feminino, número que demonstra que, cada vez mais, o público também está se interessando pela modalidade.

 

Marta

A Rainha do futebol brasileiro também colaborou para a edição entrar na história. A maior jogadora de futebol de todos os tempos, que já conquistou seis vezes o prêmio de Melhor do Mundo – a atleta que mais recebeu, entre homens e mulheres, marcou o seu 17º gol em Mundiais e se tornou a maior atleta da competição, tanto em edições masculinas, quanto femininas. A marca era, até então, do alemão Miroslav Klose, com 16 gols marcados. A brasileira ultrapassou ao marcar na última rodada da fase de grupos, na vitória da Seleção Brasileira sobre a Itália.

A craque Marta é o grande destaque do Brasil | Foto: FIFA

Emoção

Uma cena marcante do torneio até o momento foi o choro da diretora da Tailândia, Nualphan Lamsam. A sua equipe, que já havia perdido por 13 a 0 para os Estados Unidos na primeira rodada, estava perdendo por 4 a 0 para
Suécia, mas quando a atacante Kanjana Sungngoen marcou o gol de honra da Seleção Tailandesa na partida, e o primeiro da equipe na competição, a diretora não conteve as lágrimas. Segundo a própria, o choro foi devido a sequência de resultados que a equipe vinha tendo, e o gol serviu para aliviar essa pressão psicológica das jogadoras.

Clique aqui para ver o do vídeo do lance no GloboEsporte.

Maior goleada da história

E a Tailândia está envolvida em outro ponto marcante desta Copa do Mundo, mas desta vez negativo. Ao enfrentar a equipe dos Estados Unidos, na estreia das seleções na competição, a equipe tailandesa sofreu a maior goleada da histórias das Copas do Mundo. A Seleção Americana aplicou 13 a 0, com um show de Alex Morgan, autora de cinco gols. Até então, o placar mais elástico da competição tinha sido em 2007, quando a Alemanha goleou a Argentina por 11 a 0.

Equipe americana fez goleada histórica | Foto: FIFA

Felicidade

Que o futebol proporciona alegrias para todos a gente sabe, e na Copa do Mundo não está sendo diferente. O sorriso e a felicidade das pessoas nos estádios e das próprias jogadoras é contagiante. Um exemplo disso é a seleção da África do Sul, no momento em que chegou ao estádio para a partida de estreia. As jogadoras entraram dançando e cantando. Essa é a mensagem que o esporte tem que passar!

As oitavas de final começam neste sábado (22). Bora acompanhar?