Clima de Oscar: 5 jogadores que se arriscaram no mundo do cinema

Clima de Oscar: 5 jogadores que se arriscaram no mundo do cinema
Por Christian Farias

Jornais, programas de variedades, manchetes de fofocas e stories do Instagram são alguns dos lugares mais comuns parar vermos grandes nomes do futebol mundial. Por outro lado, existe um outro nicho no qual muitos boleiros de renome já se arriscaram: a sétima arte. Aproveitando a 91ª edição do Oscar, vamos falar de participações de jogadores famosos em obras do cinema.

Que comece o jogo:

1 – Pelé

O Rei do futebol se arriscou nas películas através do filme Fuga Para a Vitória (Escape to Victory), de 1982. A história abordava a relação de prisioneiros aliados que são mantidos em uma detenção nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Para fugir, eles precisam utilizar suas habilidades futebolísticas em uma trama que mistura o absurdo e grandes nomes do cinema como Sylvester Stallone e Michael Caine (ator com cinco indicações ao Oscar).

Observação: Pelé é o atacante e Stallone é o goleiro. Quem vai na linha?

2 – Zidane
Um dos maiores nomes do futebol mundial, Zinedine Zidane não esteve tão longe de Pelé, e também teve sua chance de esbanjar a habilidade de ator (não muito requintada) em um filme de qualidade duvidosa. Astérix nos Jogos Olímpicos (Astérix Aux Jeux Olympiques), de 2008, conta com Zidane em um traje característico da época, fazendo embaixadinhas e se negando a entregar a bola a um companheiro.

Não obstante, por conta da temática absurda do filme e a atuação pouco inspirada de Zidane, o filme ganhou o título de pior película do ano na França pelo Gérard du Cinéma.

3 – Vinnie Jones
Chegou a hora de falarmos de um nome não tão conhecido mundialmente nos gramados, mas que conseguiu ampliar sua reputação nas telonas. Jones foi jogador profissional atuando em times como Wimbledon Football Club, e com passagens pelo Chelsea e Leeds United. Vinnie também foi capitão da Seleção Galesa de Futebol, mas foi com sua estreia no filme Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes (Lock, Stock and Two Smoking Barrels) de 1998 – do hoje renomado diretor Guy Ritchie – que sua carreira cinematográfica deu um salto.

Hoje, Vinnie já conta com um currículo de mais de 30 filmes, entre eles papéis importantes em filmes como X-Men: O Confronto Final, EuroTrip, Swordfish, Snatch – Porcos e Diamantes, entre outros.

4 – Zico


Em 1999, o Galinho de Quintino se arriscou no cinema em uma obra que muitas pessoas não lembram – ainda bem!. Uma Aventura Zico conta a história de uma escolinha em que o craque é técnico, mas que possui um aluno muito limitado – porém rico. Este menino conta com a ajuda do pai, um cientista interpretado pelo “inoxidável” Eri Johnson, para clonar Zico e dar aulas particulares ao garoto.

Precisamos falar mais sobre? Não, né? Vamos ao próximo…

5 – Éric Cantona
Uma fúria dentro dos gramados, controverso, irritado, impulsivo e vencedor, Cantona surpreendeu a todos quando estrelou o filme À Procura de Eric (Looking for Eric), de 2009. Um homem fã incondicional do Manchester United se vê perdido na vida e com grandes dilemas na parte emocional e existencial. Para ajudá-lo, o grande jogador Cantona surge em sua vida e tenta fazer com que o torcedor possa entender um pouco mais sobre enfrentamentos e embates dos mais diversos. Um filme profundo, cheio de interpretações e que concorreu ao festival de Cannes.

6 (BÔNUS) – Pelé de novo
Sim e não! Vamos falar novamente de Pelé, porém por um fator curioso. Todos conhecem o episódio de Chaves onde a turma da vila vai ao cinema e o protagonista repete insistentemente a frase: “teria sido melhor ir ver o filme do Pelé”. Pois, na versão original (vale lembrar aos esquecidos que a série é mexicana) a frase é outra, basicamente na tradução literal seria “teria sido melhor ir ver El Chanfle”.

Mas o que é El Chanfle? E por qual motivo colocaram o Pelé na produção?

El Chanfle é um filme roteirizado e produzido por Roberto Bolaños, criador de Chaves, e este episódio servia como uma ação de marketing do mesmo na época. A história do longa se foca roupeiro do América do México, interpretado por Bolaños, time treinado por um senhor engraçado e desconjuntado, Ramón Valdéz (o Seu Madruga). Já que o filme era futebolístico, e aqui no Brasil ninguém o conhecia, pois não havia sido lançado, a empresa Maga – responsável pela dublagem da série no Brasil – decidiu inserir um filme que estava nos cinemas e que era protagonizado por ninguém menos que Edson Arantes do Nascimento: o Pelé.

Curtiu a lista ou prefere ir ver o filme do Pelé?