A La Liga e o exemplo espanhol de como fortalecer o futebol feminino

A La Liga e o exemplo espanhol de como fortalecer o futebol feminino

Não é incomum ouvir da boca do povo que o Brasil precisa ser modelo de algo ou deve seguir o exemplo de algum país, seja em âmbito político, econômico ou ambiental. Até mesmo no futebol, seja dentro ou fora de campo, existe uma comparação de país para país, principalmente quando o assunto é a federação e como ela lida e preza pelo futebol de sua nação.

Nesse sentido, quem vem dando um show fora das quatro linhas é a Espanha. País de três dos maiores clubes do mundo (Atlético de Madrid, Barcelona e Real Madrid), os espanhóis vem virando referência quando o assunto é dar importância e visibilidade ao futebol feminino. 

A Espanha, o futebol feminino e o apoio à modalidade

Um ‘simples ‘ ato de transmitir um jogo de futebol é um passo enorme pra quem busca a visibilidade no esporte. Esse passo grande, “virou uma caminhada” para o futebol feminino na Espanha já que o país age de forma “natural” e transmite os jogos da modalidade assim como o masculino. 

No Brasil, algumas emissoras transmitiram ou ainda passam alguns jogos da modalidade, como a Rede Globo fez na Copa do Mundo da França e Band e a Rede Vida fazem ao transmitir os do Brasileirão A2 e Campeonato Paulista. 

A luta pela profissionalização

Embora seja exemplo, a Espanha ainda não profissionalizou o futebol feminino em seu país. Tudo por conta de uma lei que impede esta ação e que pode inclusive atrapalhar o futebol feminino espanhol no futuro. 

No entanto, enquanto luta pela profissionalização, o futebol feminino no país vai crescendo tanto financeiramente falando quanto em relação a visibilidade. Além das movimentações para a criação de um salário mínimo entre as atletas que varia entre US$ 17 mil e US$ 22 mil e o crescimento de patrocínios, a Espanha se orgulha de ter o maior público de uma partida de futebol feminino registrada na história. 

60.739 torcedores. Este foi o público de Barcelona e Atlético de Madrid pela La Liga 2018/19 onde o time catalão venceu por 2 a 0. 

O surgimento do Real Madrid no futebol feminino

Neste ano, o Real Madrid resolveu entrar de vez no futebol feminino. Para isso, a equipe se juntou com o CD Tacón para formar um time para a temporada 2019/20 e assim tentar se tornar um dos grandes times ao lado de Barcelona e Atlético de Madrid.

Como é uma equipe recém formada, o novo time do Real Madrid disputa no momento somente a competição espanhola. Neste time jogam duas brasileiras: a zagueira Daiane e a meia Thaísa. 

La Liga 2019

Em 2019, o Campeonato Espanhol conta com 16 equipes, onde a mais tradicional é o Barcelona. O clube, inclusive, é o maior campeão da competição espanhola com quatro conquistas. O Levante e o Athletic Bilboko venceram o torneio por três vezes. 

As brasileiras que são destaques na La Liga

Apesar de não ser o campeonato com mais brasileiras, a La Liga possui alguns nomes conhecidos. Até pouco tempo atrás, a atacante Andressa Alves, por exemplo, estava atuando no Barcelona antes de se mudar e defender o Roma, da Itália. 

No total, a La Liga desta temporada tem 11 jogadoras brasileiras. São elas a Ludmila (Atlético de Madrid), Daiane (Real Madrid/CD Tacón), Thaísa (Real Madrid/CD Tacón), Mônica (Madrid CFF), Aline Reis (Tenerife), Joyce (Tenerife), Jujuba (Tenerife), Érika (La Coruña), Jucinara (Levante), Nágela (Logroño). 

O sonho espanhol

Tentando seguir o exemplo dos Estados Unidos, a Espanha sonha alto e mira a maior conquista que o futebol pode proporcionar dentro das quatro linhas: a Copa do Mundo. 

O país europeu nunca conquistou uma competição mundial, mas assim como os demais países do Velho Continente, busca fortalecer o seu futebol para um dia levantar a taça mais importante para uma atleta da modalidade.

Conteúdo dos nossos parceiros do Jogando Com Elas